Tempo de Leitura: 3 minutos

Vinte e quatro horas é o tempo que cada dia nos oferece. Mil quatrocentos e quarenta minutos. E parece que nunca chegam para o que queremos fazer.

A maior parte das pessoas gostava de conseguir produzir mais com o tempo que tem disponível. E pode ser produzir mais trabalho para responder às responsabilidades profissionais ou não levar trabalho para casa e ter tempo para fazer outras coisas.

E muitos também gostavam de se conseguir distinguir profissionalmente e ter melhores resultados.

E o se o segredo para tudo isto for alimentarmos a nossa atenção?

O psicólogo organizacional Adam Grant diz-nos que a produtividade é menos sobre gestão de tempo e mais sobre gestão da atenção. A atenção é uma capacidade cognitiva como a memória, a lógica, o raciocínio, a capacidade de resolver problemas, de planear, de processar informação.

E cada vez há mais estímulos que consomem a largura de banda da nossa atenção. O mais presente para a maior parte das pessoas é a tecnologia como o telemóvel e tudo aquilo que nos permite fazer.

E a quantidade de informação que temos hoje disponível? Eu às vezes sinto-me perdida no meio de tantos livros, artigos e vídeos que quero ver.

Temos estado a ser treinados para “ler” e ignorar parte dos conteúdos. Às vezes noto que para conseguir ler um artigo na internet preciso de fechar não sei quantos popups e ignorar pelo meio do texto anúncios de coisas que não me interessam.

Passámos a ser especialistas em ignorar informação sendo que por vezes essa informação é importante. Fico impressionada com o número de pessoas (pequeno mas mesmo assim…) que é capaz de preencher um formulário numa página a perguntar-me informação que está lá explicitamente indicada como a data ou o valor de um curso…

Ou ao “lermos” um email escapam-nos detalhes importantes com consequências na nossa imagem ou no resultado do nosso trabalho. 

Também deve estar a pensar em como a expetativa de conexão constante e resposta imediata pedem a nossa atenção. É um problema cultural que todos alimentamos pois todos queremos resposta imediata. Por isso uso com muita frequência o botão “não incomodar” do meu telefone. E por isso é hoje tão essencial sabermos dizer “não” para podermos dizer “sim” ao que é mais importante.

Giro a minha atenção com o mesmo cuidado que giro o tempo e a minha energia, pois são todos igualmente preciosos.

Por outro lado, a qualidade da nossa atenção prevê o nosso desempenho na execução de várias tarefas mas não só. Prevê até a nossa capacidade de gerirmos as nossas emoções e a qualidade das nossas relações pessoais e profissionais.

Além disso, na economia de conhecimento de hoje, aqueles capazes de se distinguir são aqueles que conseguem aprender rapidamente por exemplo a usar uma nova ferramenta ou a manterem-se atualizados na sua área profissional. (Veja aqui 6 dicas para ser mais produtivo a estudar)

Na economia de conhecimento de hoje, aqueles capazes de se distinguir são aqueles que conseguem produzir um trabalho de qualidade.

Realizarmos um trabalho de qualidade implica sermos capazes de nos focar a usar as nossas capacidades cognitivas, sermos capazes de nos focar a realizar um trabalho profundo.

Um trabalho profundo é difícil de replicar por qualquer pessoa pois depende do conhecimento que temos vindo a adquirir, das nossas capacidades cognitivas, da nossa criatividade para resolvermos problemas e criarmos algo diferente.

E depende da qualidade do nosso foco para aplicarmos tudo isto. Normalmente dizemos que estamos focados quando conseguimos propositadamente concentrar a nossa atenção em algo durante algum tempo desligando-nos de outros estímulos, do barulho à nossa volta.

A capacidade de aprender e produzir trabalho profundo é cada vez mais rara muito porque a capacidade de foco é cada vez mais rara. Por isso, quem o consegue fazer distingue-se.

Por isso, quem o consegue fazer será mais raro e mais dificilmente substituível.

E as boas notícias são que fazê-lo não requer mais tempo. Pelo contrário. É uma maneira de fazer o tempo esticar.

Comece por experimentar criar alguns momentos no dia em que reduz as fontes de distração e se foca a realizar tarefas que requerem concentração. Este é um tema que costumo trabalhar nos cursos de gestão de tempo e é uma das áreas que causa mais frustração porque parece que está tudo contra nós (até nós mesmos) e ao mesmo tempo traz maiores ganhos. Se o tema lhe interessa, esteja atento aos próximos cursos.

 

FERRAMENTAS

Como beber mais água

A ferramenta que aconselho este mês são elásticos. Até podem ser daqueles coloridos. Hoje deixo a ideia de usar elásticos em volta da garrafa de água que tem sempre consigo (tem uma não tem? Já sabemos que...

read more

AO COMANDO DA OBJETIVO LUA

Ana Relvas, Ph.D & Consultora de Desempenho

Ana Relvas é a propulsora da Objetivo Lua, projeto que cresceu da sua vontade em ajudar outros a concretizarem o seu potencial e foi construído sobre uma carreira de mais de 10 anos como Gestora e Engenheira Aeroespacial.

É esta experiência que, aliada à formação como Coach e Master Practitioner em Programação Neurolinguística, permite entender os desafios profissionais atuais e desenhar programa para cada pessoa, equipa ou empresa.

 

 

 

Soluções   Cursos   Recursos
Quem Somos   Blog   Contactos

 

 

 

Copyright © 2018 Objetivo Lua. Todos os direitos reservados. Powered by Business Config.

0