Tempo de Leitura: 2 minutos

As palavras que escolhemos para comunicar têm alto impacto, consciente e inconsciente, nos outros.

Hoje quero falar de uma pergunta que todos fazemos quando queremos convencer alguém de algo só que o modo como a formulamos leva a uma resposta contrária à que desejamos.

Imagine que queremos convencer alguém a fazer algo (por exemplo a experimentar algo novo como um novo caminho para o escritório).

E para a convencermos perguntamos “Porque é que não vais por este caminho?”

Quantas vezes usamos a estrutura “Porque é que não…” no dia-a-dia?

Já reparou que, na realidade, o que é que estamos a pedir à pessoa é que pense nas razões pelas quais NÃO vai seguir a nossa sugestão…e isso é contrário ao que queremos.

Uma alternativa a esta pergunta seria algo como “Imagina que fazias este caminho novo. Quais são os benefícios?”…pelo menos assim pomos a pessoa a pensar nas possibilidades e no que ganha em seguir a nossa sugestão.

FERRAMENTAS

Porque não temos tempo

Tendencialmente acho muito mais interessantes as perguntas “como” do que “porquê”. “Porque não tenho tempo?” ou “Como posso ter tempo?” sendo que a primeira ajuda a trazer respostas para a segunda mas por...

read more

AO COMANDO DA OBJETIVO LUA

Ana Relvas, Ph.D & Consultora de Desempenho

Ana Relvas é a propulsora da Objetivo Lua, projeto que cresceu da sua vontade em ajudar outros a concretizarem o seu potencial e foi construído sobre uma carreira de mais de 10 anos como Gestora e Engenheira Aeroespacial.

É esta experiência que, aliada à formação como Coach e Master Practitioner em Programação Neurolinguística, permite entender os desafios profissionais atuais e desenhar programa para cada pessoa, equipa ou empresa.

0