Tempo de Leitura: 2 minutos

Acho o CV Europass horrível. Tem demasiada informação (e alguma irrelevante) e impede os candidatos de se distinguirem e por isso aconselho o uso de outro formato.

No entanto, se uma empresa pede explicitamente o CV neste formato aconselho a que se siga essa instrução. E sei que esta opção, para alguns, é controversa pois ser criativo e disruptivo está na moda.

Mas eu venho de uma área em que ser rigoroso é essencial. Pequenos detalhes, erros sem importância fazem perder vidas e milhões de euros/dólares.

Imagino um cenário: eu estou a recrutar alguém para a minha equipa e minha empresa pede o CV Europass porque é política da empresa. Alguém concorre enviando um CV noutro modelo.

Eu ficava a pensar: será que esta pessoa não se deu ao trabalho de ler os requisitos da posição ou, até leu, mas enviou o CV que já tinha feito para não ter trabalho?

Será que é disruptivo e criativo ou desleixado e pouco rigoroso? Ficaria na dúvida. E outros também podem ficar.

E talvez este fosse um critério de seleção pois como há concorrência provavelmente não daria oportunidade a essa pessoa de provar o contrário numa entrevista.

Talvez às vezes tenha mau feitio. É um bug (ou feature) de formação.

Mais do que não seguir regras porque é “cool”, prefiro pessoas que usem a criatividade e a disrupção para resolver problemas realmente importantes.

Por isso, sugiro uma solução mista quando uma empresa pede explicitamente o CV neste formato: usar o formato gráfico do modelo, mas inovar no conteúdo por exemplo removendo alguns pontos, reorganizando a informação. E usar também outras estratégias para se distinguir que não passam pelo CV.

Assim o candidato passa a mensagem de “Eu vejo-vos (estou atento aos detalhes que são importante para vós) mas quero que me vejam também”.

Nunca sabemos as necessidades que estão do outro lado e os preconceitos de quem vai selecionar o CV para uma entrevista. E no fundo é isso que o candidato quer: ser chamados para a entrevista e aí distinguir-se.

Encontra boas ideias no podcast Casa Trabalho Casa sobre como fazer um CV para se distinguir ou lidar com o processo de recrutamento.

FERRAMENTAS

Parar é morrer ou parar é viver?

Li há tempos a expressão “Parar é morrer” e acho que pela primeira vez parei uns instantes (e aparentemente continuei viva) para pensar nas implicações que esta frase feita nos traz.Vivemos numa sociedade...

read more

AO COMANDO DA OBJETIVO LUA

Ana Relvas, Ph.D & Consultora de Desempenho

Ana Relvas é a propulsora da Objetivo Lua, projeto que cresceu da sua vontade em ajudar outros a concretizarem o seu potencial e foi construído sobre uma carreira de mais de 10 anos como Gestora e Engenheira Aeroespacial.

É esta experiência que, aliada à formação como Coach e Master Practitioner em Programação Neurolinguística, permite entender os desafios profissionais atuais e desenhar programa para cada pessoa, equipa ou empresa.

 

 

 

Soluções   Cursos   Recursos
Quem Somos   Blog   Contactos

 

 

 

Copyright © 2018 Objetivo Lua. Todos os direitos reservados. Powered by Business Config.

0